Entrevista da Taylor Momsen para a People Magazine


Taylor Momsen deu uma entrevista para a revista People falando sobre conhecer seus ídolos, sobre o novo álbum, Gossip Girl e outros assuntos. Confira: 

Taylor Momsen trocou a fama da TV pelo rock 'n' roll em 2009 quando formou sua banda de rock The Pretty Reckless - mas uma personagem que ela interpretou em uma determinada série teen amada da CW continua a assombrá-la.

"É menos frustrante quando alguém me reconhece por isso; o mais frustrante é que eu ainda seja perguntada sobre", Momsen, 23, diz sobre Gossip Girl , o drama adolescente que ela estrelou como Jenny "Little J" Humphrey ao lado de Blake Lively, Leighton Meester, Chace Crawford e Penn Badgley. Ela se juntou ao elenco e apareceu nos episódios que começaram em 2007, mas foi menos proeminente nas temporadas posteriores quando começou a se concentrar em sua carreira musical.

"Parece que alguém está me perguntando sobre o colegial", acrescenta Momsen, que começou a modelar quando criança e memoravelmente estrelou Cindy Lou Who com Jim Carrey em "How the Grinch Stole Christmas" (2000). "Isso literalmente foi o meu ginásio, de modo que é o que parece para mim. É uma vida tão passada que é uma pergunta estranha para continuar a ser feita".
Desde o lançamento de seu segundo álbum, Momsen tem tido muito sucesso nas paradas de rock, lançando três álbuns (o mais recente Who You Selling For), excursionando turnês em todo o mundo e até mesmo quebrando recordes com a The Pretty Reckless. No mês passado, o quarteto se tornou a primeira banda a ter quatro singles consecutivos atingindo o número 1 no Mainstream Rock Songs da Billboard com o seu mais recente hit "Take Me Down".

A PEOPLE conversou com a cantora, que abriu o jogo sobre encontrar com seus ídolos do rock, o que ela faz em seu tempo livre - e se ela não lamenta seu passado de estrela infantil.

Você tem trabalhado por...

Cerca de 20, 21 anos.

Você já desejou que você não tivesse conseguido entrar na indústria tão jovem?

Eu não costumo mais pensar nisso, porque é o que é. Você não pode mudar o que aconteceu. Onde eu estou agora é incrível. Um caminho diferente poderia ter me levado a um lugar diferente, e eu não seria feliz fazendo nada mais do que música. Obviamente, todo mundo tem coisas em seu passado que elas não gostam de olhar para trás [risos], mas não, você não pode mudá-lo.

O que o seu novo álbum diz sobre onde você está na sua vida agora?

Vou deixar o álbum falar por si. Eu não quero ficar aprofundando muito com minhas opiniões pessoais dele e de onde as músicas vieram porque eu acho que isso induz demais o ouvinte a conhecer a mentalidade do escritor. Por exemplo, eu assisti a um documentário do Pink Floyd outro dia, e eu aprendi que "Shine on You Crazy Diamond" é sobre [o vocalista] Syd Barrett. Eu não quero saber disso! Porque agora eu ouço essa música - uma canção que eu amei toda a minha vida - e eu só penso em Syd Barrett, quando para mim isso significava outra coisa.

Quem são suas influências musicais? Quem você cresceu ouvindo?

Os Beatles, em primeiro lugar, que é a minha banda favorita de todos os tempos. Vou começar com os Beatles, e eu vou terminar com Soundgarden. Eu amo todos os tipos de grunge dos anos 90, e eu amo o rock clássico: É aí que reside o espectro.

Você abriu para Marilyn Manson e dividiu o palco com Joan Jett. Qual foi o maior momento desses encontros?

Quando tivemos que abrir para Soundgarden, foi muito legal.

Algumas pessoas dizem que você não deve conhecer seus ídolos - Como foi isso para você?

Evitei-os como uma praga! Porque eu concordo com isso. Quer dizer, eu disse "Olá" e outras coisas, mas eu quero mantê-los na luz, e quero vê-los só nela.

Você tem feito música e turnê por anos agora. O que você faz no seu tempo livre?

Eu sou um tipo de pessoa caseira; Eu não sou alguém que gosta de sair muito. Sair em turnê definitivamente faz com que você aprecie mais a sua casa, então quando eu posso estar em casa, gosto de ficar em casa. Quando tenho tempo, eu escrevo outras coisas. Eu estou trabalhando em um livro, eu pinto, gosto de esculpir, eu brinco com minha cachorra, eu assisto televisão - Eu adoro South Park ou filmes ou o que quer que eu perdi, coisas normais. E eu tenho um lugar na Nova Inglaterra. É no meio do nada, no estilo do filme de terror - Stephen King-ville. É um bom tipo de retiro para eu reagrupar os meus pensamentos e trabalhar. Eu divido o meu tempo: 50 por cento lá, 50 por cento em Nova York.
Traduzido por Fc Cold Blooded 

FAÇA SEU COMENTÁRIO