Entrevista da Taylor Momsen para a Cincinnati Enquier




A Taylor Momsen conversou por telefone com a Cincinnati recentemente, durante sua passagem com a Going To Hell Tour na cidade de Cincinnati – Ohio. Confiram a entrevista abaixo:

Por que você decidiu fazer uma turnê antes do álbum ser lançado?

Nós havíamos lançado o single e fazia muito tempo desde que não estávamos na estrada. Como uma banda, você tem que tocar, ou você começa a perder sua mente.
Então saímos em turnê, e nós temos o single (“Going To Hell”). Nós tocamos isso, as músicas antigas e algumas músicas novas que ainda não foram lançadas, por isso é divertido.
Nós já estávamos arrancando os nossos cabelos. Nós tínhamos que tocar. Se você não tocar como uma banda, você não é mais uma banda.

Incomoda você que estamos vivendo atualmente por um momento onde o Rock ou Hard Rock, tal como o TPR, não é o grande estilo que está em destaque no momento? Ou isso ajuda a sua banda a se destacar na multidão?

Incomoda-me que eu não tenho um monte de novos CD’s para ouvir.
Atualmente estou obcecada com o "Kill Animal" do Soundgarden. Eu tenho que ouvir o novo CD do Alice in Chains. Eu não recebi esse ainda.

Eu acho que o rock definitivamente precisa de um ressurgimento. Ele precisa voltar e assumir novamente como acontece a cada 10 ou 20 anos. Acontece. O pop sempre existe, e o rock chega aos poucos, como nos anos 60. Houve um renascimento onde a guitarra assumiu novamente. Então, de novo nos anos 90, onde este grupo de bandas voltam novamente e se conectam e entram no top 10, isso é mais legal do que tudo.

Eu acho que as marés estão voltando aos poucos. Há algumas faixas acústicas, mas pelo menos eles estão tocando instrumentos reais novamente. Tudo o que eles tem a fazer é tocar, e espero que tenhamos um ressurgimento em breve.

Ter crescido desde criança no mundo do entretenimento tem alguma influência sobre a música que você faz?

A modelagem e atuação, aquilo era apenas um trabalho, essencialmente, um dia de trabalho para pagar as contas. A música tem sido minha paixão.
Eu tendo sido uma cantora e compositora desde que eu era criança, mas não publicamente. Eu sempre fui uma fã apaixonada pelo rock. Eu cresci ouvindo a coleção de vinil do meu pai. A primeira vez que ouvi "Strawberry Fields" do Beatles eu fiquei devastada. Aquilo fundiu minha mente. Eu cresci ouvindo Zeppelin, The Who, Pink Floyd e AC/DC, e então entrei nos anos 90, com Nirvana, Soundgarden, Pearl Jam e tudo isso. Está no meu sangue.
Quantos empregos você já teve? Tenho certeza que você já teve vários, como todo mundo tem. Esses são trabalhos que fazem parte do meu passado.

Então você não conta a música como um dos seus trabalhos?

Eu gosto disso mais do que respirar. A única parte nisso que é um trabalho são as viagens. Tocando toda noite é - um músico que chama de trabalho não é um músico real. É a melhor coisa do mundo , entrar no palco e tocar todas as noites. Os shows são impressionantes.

Isso significa que em algum momento você só será uma musicista e não uma atriz?

Eu atualmente já sou apenas uma musicista. Eu não atuo a quatro anos.

Isso irá se manter assim?

A menos que Joss Whedon me ligue e me chame para interpretar um super-herói no próximo filme do "Avengers", estou bem contente agora.

O que você acha de músicos que estão tentando se tornar atores?

Eu acho que é cada um na sua. Quando Chris Cornell fez isso em "Singles" (Vida de Solteiro), eu acho que ficou incrível. Na medida em que buscam atuar como uma carreira, é cada um na sua. Se eles têm uma paixão por isso, ótimo. Eu particularmente não tenho.

Tradução: Deusas Do Rock 

FAÇA SEU COMENTÁRIO