Scans: Taylor Momsen na Revista Atrevida

A revista Atrevida deste mês de agosto, com Demi Lovato ou Micael Borges na capa, traz em seu conteúdo uma matéria-entrevista de duas páginas com a Taylor! Já adicionamos os scans em nossa galeria (clique nas miniaturas acima e veja) e abaixo segue a transcrição do conteúdo:

Garota ROCK ‘N’ ROLL                                                                                                
Ela tem, sim, muita atitude. Mas quer saber? Tem muita doçura também. E é com essa combinação perfeita que Taylor Momsen tem conquistado tudo o que quer. You go, girl!
Taylor Momsen é uma garota de coragem. Ponto. Ou você conhece mais alguém que teria jogado para o alto um megapapel em Gossip Girl, um dos seriados mais bombados #ever, para correr atrás do velho desejo de ter uma banda (e viver disso)? Não é para qualquer um. Mas a líder do The Pretty Reckless já provou que não está disposta a se acomodar por fama, dinheiro ou status… O negócio dela é rock’n roll! Sorte a nossa. A loirinha caiu na estrada e acaba de chegar ao Brasil para um série de shows. Em nome de todos os Zombies, conseguimos um tempo entre ensaios e as gravações do novo disco (um beijo pra quem duvidou que, um dia, a TPR iria estourar) para bater um papo sobre música, estilo e ousadia. E sabe de uma coisa? Por trás do olhão black total, sua marca registrada, existe uma garota doce, outros saonhos e que não abre mão de lutar por eles. Ela é gente como a gente…
Que tal ser a única garota da banda?                                                                                
Ai, nem penso nisso, sabia? Porque eu quero mais é me divertir! E, além da banda em si, tem muita gente envolvida na turnê e algumas pessoas são mulheres. Tem uma menina na produção, por exemplo, que é minha amigona!
E de onde você tira inspiração para compor suas músicas?                                                             
Ah, de várias bandas diferentes. Para compor gosto de ouvir Beatles, Soundgarden, The Who, Pink Floud, Metallica, Marilyn Manson, enfim, vou ouvindo, ouvindo, ouvindo… Aí uma hora a inspiração chega.
Fala a verdade: você nunca mais sentiu falta de atuar desde que trocou a carreira de atriz pela de cantora?                                                                                               Nenhuma. Estou tão feliz com o que faço atualmente que nem lembro do passado. Veja bem, cantar sempre foi a minha graaaande paixão, o que eu sempre quis fazer. Então, quando completei idade suficiente para tomar minhas próprias decisões, resolvi seguir a música, me dedicar totalmente à banda, fazer grandes turnês. E só dá para fazer isso sendo somente cantora.
Um monte de gente encara o rótulo “atriz e cantora” numa boa. Sua decisão foi outra, né? Quando você sacou que não dava para levar as duas profissões ao mesmo tempo?Quando estávamos gravando o disco. Porque trabalhar em dois empregos é muito difícil e aí eu percebi que não ia conseguir fazer um bom trabalho como cantora se não estivesse focada pra valer. E como música sempre foi minha verdadeira paixão, muito mais do que atuar, foi fácil optar.
Qual é a principal diferença entre ser cantora e atriz?                                               
 São duas profissões tão diferentes que não dá nem para comparar. Para mim, atuar é somente um trabalho. Você recebe uma personagem para interpretar e faz do jeito que os criadores e diretores do seriado querem que afça. Já com a minha música é totalmente outra vibe! Sou eu, fazendo o que eu gosto, vendo as coisas do meu jeito, cantando as canções que eu escrevo. Entende que não dá para comparar?
Entendo. Aqui no Brasil os Zombies estão loucos para te ver cantar!                          
Eu também quero muito conhecer os fãs brasileiros! Tenho ouvido tantas coisas maravilhosas sobre o Brasil, sobre os nossos Zombies, que estou superempolgada com o shows. Descobrimos que essa galera é muito louca, no melhor sentido da palavra.
Podemos esperar alguma coisa especial?
Sempre! Nossos shows são bem diferentes uns dos outros, mas eu não quero contar muita coisa para não estragar a surpresa, né? [risos]
E qual é a sua música preferida do The Pretty Reckless?                                             
Hum… Não tenho uma música preferida. É como se tivesse de escolher um filho preferido. Elas são todas tão pessoais. Não dá… É impossível! [risos]
Bom, tem um disco novo rolando, né?
Estamos em estúdio agora, gravando as faixas, mas ainda não temos uma data definida de lançamento. O que posso diz por enquanto é que estamos muito felizes e que o álbum deve sair no começo do ano que vem. Podem esperar coisa boa!
Eba! E esse lance de ser um icone da moda… Seus looks estão sempre um arraso.      
Gosto muito do mundo fashion e de brincar com as peças, fazer combinações novas e customizar o que tenho no armário. É uma diversão! Acho que não existem erros na moda. Para mim, ela é uma maneira visual de se expressar. E eu a-do-ro me expressar.
Como você se sente sendo uma inspiração fashion?                                                         
Ah, acho incrível as pessoas se inspirarem no meu estilo. Só não gosto quando elas deixam a personalidade delas de lado, por isso, meu conselho é: sejam vocês mesmas! O importante é se sentir bem.
Agora vamos à parte polêmica da conversa…
Manda bala!
Você tem algumas atitudes no palco que são consideradas bastante ousadas. Como lida com as críticas?                                                                                                          Eu não lido! [risos]. Na verdade nem leio o que sai a meu respeito na mídia, acredita? A minha única interação com a internet é o Twitter. Lá sim eu tenho um contato mais direto com os meus fãs e posso deixá-los a par do que estou fazendo. Mas não gosto de ver críticas. O que importa é que faço o que gosto. E, na boa, se você não gostar do meu trabalho, sinta-se à vontade para me odiar. Cada um gasta seu tempo com o que quer… Eu prefiro ser feliz! – Anotou a dica?


FAÇA SEU COMENTÁRIO