Entrevista: Taylor Momsen fala sobre fãs, estilo e The Pretty Reckless


Veja a seguir  uma entrevista que a Taylor Momsen fez para o site Fanbolt :
Taylor Momsen não tem descrições profundas para sua música. Ela apenas diz que é o que é, é rock and roll.
Conversei com Taylor em Atlanta, no mês de Abril, e ela conversou comigo sobre sua evolução na música. Era um assunto muito pessoal para ela, porém, ela não falou sobre o significado de suas músicas.
"Gosto de deixar a música falar por si mesma, e deixar os fãs interpretarem isso, isso que torna a música interessante.
Não sei o que Robert Plant e Jimmy Page pensaram, o que significava para eles, mas sei o que isso significa para mim".


Evolução musical de Taylor Momsen

Se você seguiu a carreira de Taylor em tudo, é difícil não notar o quanto ela mudou ao longo dos anos.
A evolução é inevitável, como um artista, e é talvez a parte mais assustadora. É mais fácil com o seu primeiro álbum. Você não tem expectativas para viver com isso, mas você tem com seus álbuns seguintes.
"A maior coisa que coisa que evoluiu foi o meu padrão", revela Taylor. "De escrever o primeiro álbum e ir para o segundo, a música definitivamente evoluiu. Antes eu estava competindo com outras pessoas, agora eu estou competindo comigo mesma.
Então, o bar de coisas que eu considerava grandes, foi levantado."

O processo de composição

Taylor revela que cada música tem um processo de escrita diferente. Ela estava constantemente procurando por coisas para inspirá-la, e às vezes isso começa com uma letra ou uma melodia... E às vezes apenas um simples acorde. "Não há realmente um processo, e isso é o que torna realmente tão torturoso", diz Taylor. "
Cada música vem de um lugar diferente. É muita música, porém, não estou escrevendo para um som ou um conceito, nem para nada. Com todas as músicas, só escrevo uma boa canção. Ok, agora vou escrever outra música boa."

Estilo de Taylor Momsen

Quando você está falando com Taylor, você não consegue deixar de notar seu estilo distindo do vintage com um pouco de gótico. Como a maioria das meninas, Taylor gosta de se expressar através da moda, e ela apenas ama o que ama.
"Eu realmente não tenho um ídolo fashion. Eu amo os anos 60, e eu amo vintage. Eu costumo mais fazer compras em brechós e lojas vintage. Eu gosto de encontrar pedaços de uma coisa que pode ser usada com uma outra coisa nova e interessante. Eu costumo repetir as roupas... Apenas porque eu gosto, porque o foda é que só posso usá-lo uma vez", Taylor revela. "Eu não gosto dessa regra de Hollywood."

Geeking Out com South Park e dormir


Enquanto Taylor e seus colegas de banda tem milhares de fãs que fazem questão de comprar seu cd e ir aos seus shows, o que a banda faz quando não está na estrada? Taylor é direta comigo: dormindo.
"Dormir é essencial, e é raro", diz Taylor. "É um trabalho de 24 horas por dia, quando você em turnê. Entre entrevistas, passagens de som, fãs, e todo tipo de coisa, nunca termina. Nós assistimos um monte de filmes, tocamos guitarra e, naturalmente, escrevemos nocas coisas. É definitivamente bem interessante aprender a escrever na estrada... Tentar encontrar privacidade em um ônibus com 12 pessoas."
Não é só trabalhar e dormir, Taylor também revela que eles têm seu quinhão de drama no ônibus, e eles também gostam de assistir filmes e episódios de South Park.


Maior experiência com fãs de The Pretty Reckless


Quando eu perguntei à Taylor qual é a experiência mais memorável na última turnê, ela suspira e recua. "Por onde eu começo? Nós definitivamente tivemos algumas memoráveis..." Diz ela, rindo.
Entre Taylor, seu assistente pessoal, e seu empresário de turnê, a história de uma fã que entrou no carro com a banda foi citada.
Eles estavam correndo para fugir de paparazzis no House Of Blues, em Los Angeles, e Taylor e cerca de
outras 20 pessoas ficaram amontoados em um carro. Alguns momentos depois, eles começaram a se perguntar quem era aquela garota que estava sentada no colo do gerente de Taylor. Ninguém sabia quem era ela. "Essa menina simplesmente pulou no carro, e ela mal conseguia manter a cabeça erguida." Taylor lembra. "Nós estávamos como 'você tem que sair do carro, lamentamos, mas você tem que ir'. Ela estava tentando voltar ao nosso hotel. Estava tão caótico, e havia tantas pessoas... Haviam várias pessoas da nossa equipe conosco, então nós nem pensamos nisso." O que aconteceu com a fã? Eles não tem absoluta certeza. "Nós apenas a deixamos em uma esquina. Não podíamos virar, estávamos sendo perseguidos", explica Taylor.

Show da The Pretty Reckless em Atlanta


Os fãs no show de Atlanta pareciam um pouco mais quietos que os outros fãs. No entanto, era uma multidão interessante e diversificada de fãs que apareceram no show de Atlanta. Havia jovens, cujos pais esperavam pacientemente na parte de trás do local, enquanto tomavam suas bebidas. Havia moças e rapazes em idade de faculdade, alguns que tinham bebido demais (e estavam se esforçando para manter isso escondido), e havia algumas lésbicas no meio do local. Apesar da diversidade, todos estes indivíduos criaram um mar perfeito de fãs que existiam harmoniosamente quando Taylor se apresentava. Tudo era a música, e provavelmente não se incomodariam por Taylor ser sexy demais. Não era difícil sentir como se você estivesse de volta no anos 70, em um clube pequeno, absorvendo a era do tempo que você ficou de fora e tão desesperadamente queria experimentar.

Então, o que aí vem por aí para The Pretty Reckless? Eles acabaram de terminar de tocar em shows de abertura para a turnê de Marilyn Manson, e estão indo para o estúdio trabalhar em um novo álbum, e então cairam de cabeça na estrada para a América do Sul para uma série de shows no final de julho e início de agosto. Você pode ficar de olho em sua programação e notícias sobre a data de lançamento do novo álbum em seu site, www.theprettyreckless.com

Traduzido pela Equipe Zombies brasil  / Dê sempre os Creditos.
Agradecemos Flávio Wallacy, Jonnas Martins, Marcelle Marques, Marcelle Silva e Marcos Fabiano por nos ajudar a traduzir.
FAÇA SEU COMENTÁRIO